Yabba Tutti

  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto

Yabba Tutti é uma MC sagaz que começou a se destacar nas batalhas de rap e rodas de freestyle no ABC paulista por volta de 2013, no auge de seus 19 anos. Logo depois, passou a ter um contato mais profundo com o reggae através das festas de sound system. Atua na cena underground como MC e também como seletora especializada no estilo dancehall. Já passou pelos quatro cantos da cidade de São Paulo.

 

É fundadora do coletivo Guetto Mommys Posse, que visa a ascensão feminina e LGBTQIA+ dentro do reggae. É integrante do coletivo Marginal’s Mafia, do Vale do Paraíba. Como produtora de festas desde 2015, coleciona dezenas de flyers de bailes com seu nome na realização. São eles: Caldeirão (festa mística, de estilos diversos, onde só mulheres que tocam vinil assumem as picapes) e Maloka Dance (festa dancehall 100% vinil que acontecia no famoso Susi in Transe).

Em 2020, Yabba Tutti ganhou o primeiro lugar num concurso de novos talentos promovido pelo carioca Digitaldubs (um dos maiores sound systems do Brasil) e um júri de peso. Em breve vem aí a gravação no estúdio do Digitaldubs, no Rio de Janeiro, com lançamento pelo selo Muzamba. 

 

Enquanto isso, escute seus dois singles já lançados: “Ouro e Diamante” e “É Nóis que Manda”, em todas as plataformas digitais. Com mensagens de levante da mulher, repatriação espiritual e autoestima do povo preto, Yabba Tutti não se limita quando o assunto é música. Do rap, passando pelo dancehall, trap e afrobeat, sua retórica é inimiga de racismo, injustiça e genocídio.